Os donos de cães têm quatro vezes mais chances de atender diretrizes padrão para o exercício da saúde, de acordo com um novo estudo envolvendo cães e exercícios.

O estudo, que foi feito com centenas de famílias britânicas, sugere que ter um cão pode influenciar fortemente o quanto as pessoas se exercitam. Mas isso também levanta questões sobre por que alguns donos de cães nunca andam com seus animais de estimação ou fazem exercícios e se as pessoas devem ter um cachorro apenas para encorajar mudanças.

A maioria das pessoas que moram com cachorros está familiarizada com a alegria de percorrer caminhos, trilhas e calçadas. Também é preciso lidar com o desânimo dos amigos caninos quando nossos prazos de trabalho ou outros problemas interferem nas caminhadas.

Poucos de nós ficariam surpresos se estudos anteriores tivessem encontrado ligações entre a posse de cães e a caminhada frequente. Mas muitos desses estudos foram pequenos e se basearam unicamente na lembrança, por vezes não confiável, das pessoas sobre suas rotinas de exercícios.

Essas questões levaram estudiosos do exercício da Universidade de Liverpool e de outras instituições a decidirem realizar uma das comparações mais abrangentes já feitas até agora sobre quantas vezes e de que maneira os donos de cães e seus vizinhos sem cão se exercitam.

Eles pesquisaram cerca de 700 participantes de 385 domicílios vizinhos, metade deles mulheres e a maioria de meia-idade, embora cerca de 70 crianças também tenham participado. Cerca de um terço dessas pessoas possuía um cachorro.

Nos resultados, ficou claro que as pessoas que possuíam cães andavam com muito mais frequência do que as que não tinham cães. Em geral, de acordo com os questionários e monitoramento das atividade, a maioria dos donos de cães passava cerca de 300 minutos por semana andando com seus pets, o que significava 200 minutos a mais de caminhada por semana do que pessoas sem cães.

Devido principalmente a essas caminhadas, a maioria dos donos de cães atendia ou ultrapassava as diretrizes padrão para o exercício da saúde, que exigem pelo menos 150 minutos de exercícios moderados por semana.

Um resultado um pouco mais inesperado foi que os donos de cães também passavam um pouco mais de tempo do que as outras pessoas fazendo atividades diversas, pedalando e indo para a academia, mesmo sem seus cães, indicando que caminhar com o cachorro não impede outras atividades.

A influência dos cães também é importante para os menores! As crianças cujas famílias possuíam cães andavam por cerca de 100 minutos por semana e brincavam com seus animais de estimação por mais 200 minutos, tornando-as bem mais ativas do que crianças em lares sem cães.

Ao mesmo tempo, porém, e para a perplexidade dos pesquisadores, uma pequena porção de donos de cães nunca andava com seus cães, e esses proprietários quase todos eram jovens, saudáveis ​​e femininos.

De modo geral, os resultados sugerem que as pessoas com cães são mais ativas fisicamente do que as que não têm. Mas os resultados também mostram que os donos de cães podem permanecer sedentários (e as razões ainda precisam ser investigadas). As mulheres neste estudo que não andaram com seus animais de estimação podem ter se preocupado com o controle de seus animais ou sua segurança nas ruas, ou podem simplesmente não gostar de caminhar.

Avaliar esse tipo de comportamento é importante para que o cachorro não seja promovido como uma forma de aumentar o exercício físico.

Um cão não é uma ferramenta apenas tornar as pessoas mais ativas fisicamente. Mas, se você acha que tem tempo, inclinação e finanças para assumir a responsabilidade de ter um cachorro, ele será um grande motivador para sair caminhando por aí!

%d blogueiros gostam disto: