Os gatos são conhecidos por serem os animais de estimação não tão amigáveis, mas podemos estar errados quanto à sua natureza distante e independente.

Ao contrário da crença popular, os gatos domésticos formam laços com seus tutores humanos de maneira semelhante aos bebês e cães, de acordo com um novo estudo.

Os cientistas colocaram cada gato no estudo em uma sala desconhecida por dois minutos com seu cuidador, seguido por dois minutos sozinhos, antes de reintroduzir a pessoa por mais dois minutos, para ver como o gato se comportava.

Quando o dono voltou, cerca de 65% exibiram sinais de menos estresse e equilibraram sua atenção entre a pessoa e o ambiente, conhecido como “apego seguro”. Outros mostraram traços de evasão, com indicadores de “apego inseguro”, como agitar a cauda e lamber os lábios.

“Tanto em cães quanto em gatos, o apego aos seres humanos pode representar uma adaptação do vínculo entre filhos e cuidadores”, disse Kristyn Vitale, pesquisadora do Laboratório de Interação Humano-Animal da Oregon State University. O apego é um comportamento biologicamente relevante.

“Nosso estudo indica que, quando os gatos vivem em um estado de dependência de um ser humano, esse comportamento de apego é flexível e a maioria dos gatos usa o ser humano como fonte de conforto”.

Gatos inseguros podem correr e se esconder ou parecem agir de forma independente. “Há muito tempo existe uma maneira tendenciosa de pensar que todos os gatos se comportam dessa maneira. Mas a maioria dos gatos usa o dono como fonte de segurança. Seu gato depende de você para se sentir seguro quando está estressado.

%d blogueiros gostam disto: