Você já observou que seu cachorro é muito ansioso? Provavelmente sim. E foi justamente isso que Cientistas da Universidade de Helsinque (Finlândia) identificaram em uma pesquisa recente com mais de 13 mil proprietários de cães. Três em cada quatro cachorros podem apresentar algum sintoma de ansiedade.

No total, 72,5% de todos os cães apresentaram pelo menos um comportamento relacionado à ansiedade, revelam os pesquisadores. A sensibilidade ao ruído foi a mais comum em todas as raças, afetando 32% dos cães. Cerca de 17% dos caninos têm medo de outros cães, 15% têm medo de estranhos e 11% têm medo de novas situações. Quanto mais velho o cachorro, mais sensível ao barulho – especialmente trovões. Os pesquisadores também descobriram que certas ansiedades se agrupavam em raças específicas.

Pesquisas anteriores confirmam uma conexão entre genética e comportamento. Por exemplo, um trecho de DNA em pastores alemães codifica o gene OXTR do receptor de ocitocina. Um estudo de 2019 descobriu que o gene está associado à sociabilidade – mas o mesmo trecho de DNA também está associado à maior sensibilidade ao ruído. Esse mesmo vínculo genético provavelmente é encontrado em muitas outras raças, observam os pesquisadores desse estudo. Eles sugerem que, ao selecionar cães mais sociais, os humanos podem ter escolhido acidentalmente cães mais sensíveis ao ruído.

Ao identificar quais raças são mais propensas a exibir diferentes tipos de ansiedade, os tutores podem tomar precauções para dar a seus cães vidas mais felizes e saudáveis. Um possível dono de cachorro que mora em uma cidade movimentada pode se sair melhor com uma raça menos sensível ao ruído, por exemplo, enquanto cães com medo de estranhos podem se sair melhor em casas rurais isoladas.

%d blogueiros gostam disto: