Os animais de estimação trazem muita alegria às vidas que tocam. Portanto, não é nenhuma surpresa o que revelou a Pesquisa Nacional de Animais de Estimação 2019-2020, realizada pela American Pet Products Association. Cerca de 85 milhões de famílias nos Estados Unidos possuem um animal de estimação. No Canadá, 7,5 milhões de famílias abrigam animais de companhia, afirma o blog PetBacker. No Brasil, o número de animais de estimação chega a 139,3 milhões.

Os animais de estimação oferecem companhia e amor incondicional. Embora sejam adequados para qualquer família, os idosos podem ter um benefício ainda maior. A organização A Place for Mom, que ajuda famílias a encontrarem residências para idosos, afirma que os animais de estimação trazem um conforto que produz resultados de saúde mensuráveis.

Cuidar de animais de estimação e estar perto deles pode produzir uma reação em cadeia química no cérebro que pode ajudar a diminuir os hormônios do estresse, ao mesmo tempo que aumenta a produção do hormônio serotonina.

Este não é o único benefício à saúde que os animais de estimação podem oferecer. Um estudo recente da Clínica Mayo, que examinou 1.800 pessoas entre 25 e 64 anos de idade, com coração saudável e descobriu que quase metade tinha um cachorro. Ter um cachorro provavelmente estimularia comportamentos saudáveis ​​para o coração, como fazer exercícios com o animal, comer bem e ter níveis ideais de açúcar no sangue.

Os animais de estimação também fornecem apoio emocional e companhia que podem ajudar os idosos – incluindo aqueles que podem ser divorciados ou viúvos – a se sentirem mais seguros e felizes.

A Pesquisa Nacional sobre Envelhecimento Saudável descobriu que, entre os entrevistados que tinham animais de estimação, 88% sentem que animais de estimação os ajudam a aproveitar a vida, e 86% sentem que seus animais de estimação fazem com que se sintam amados.

Outros benefícios de ter um animal de estimação na terceira idade:

  • Reduzir a dor: um estudo de 2012 publicado na Pain Magazine descobriu que os cães-terapia proporcionaram “redução significativa da dor e do sofrimento emocional para pacientes com dor crônica”.
  • Sentimento de propósito: cuidar de um animal não apenas estimula a atividade física, mas também pode dar aos idosos um motivo para se levantar e sair, o que equivale a um sentimento de propósito.
  • Foco alterado: Ter um animal de estimação pode ajudar os idosos a se concentrarem em algo além dos problemas de saúde física ou mental e preocupações com perda ou envelhecimento, de acordo com a psicóloga Penny B. Donnenfeld, de Nova York.
  • Aumento da atividade física: os animais de estimação requerem cuidados e essa interação pode fazer os idosos se movimentarem mais do que se eles não tivessem um animal de estimação.
  • Melhoria da saúde: a pesquisa em andamento da Harvard Medical School descobriu que os donos de cães têm pressão arterial mais baixa, níveis de colesterol mais saudáveis ​​e menor risco de doenças cardíacas do que aqueles que não têm cachorro.
  • Seguir uma rotina: cuidar dos animais de estimação ajuda os idosos a manter uma rotina. Ter estrutura após a aposentadoria pode ser importante para evitar o risco de depressão. Ficar em cima da alimentação, higiene e outras necessidades do animal de estimação também pode ajudar a prevenir o declínio cognitivo.

 

%d blogueiros gostam disto: