O vínculo entre crianças e cães é muito especial. Para as crianças, os cães podem ser qualquer coisa, desde companheiros de brincadeiras e parceiros no crime até professores e fontes de conforto. Mas, como qualquer novo relacionamento, há uma curva de aprendizado. Sem uma compreensão adequada de como interagir com os cães, as crianças podem provocá-los inadvertidamente, o que pode levar a uma mordida ou ataque ou a um cão estressado. Mesmo os cães mais gentis têm dias ruins e muita paciência se uma criança estiver puxando o rabo.

O caminho certo para as crianças brincarem com cachorros não é apenas dever e conhecimento dos pais. É algo que todos os donos de cães devem saber para prevenir ou diminuir futuros acidentes. Por isso vamos compartilhar aqui algumas dicas que você pode repassar para as crianças:

1. Peça permissão e não ache que a resposta será “sim”

Em primeiro lugar, ensinar as crianças a fazer carinhos nos cães é ensinar o consentimento. Acima de tudo, começa com o pedido de permissão, mas os especialistas têm algumas ressalvas sobre para quem você deveria pedir permissão em primeiro lugar. Ao apresentar seu filho a um novo cachorro, sempre peça permissão ao dono primeiro. Eles sabem melhor do que ninguém como seu cão reage a novas pessoas e especificamente crianças. Ainda assim, não é recomendado que você deixe criança fazerem carinho em cães estranhos, de alguém que você nunca viu. Aquele cachorro pode ser muito calmo, mas nunca ter interagido com crianças e talvez isso seja um risco.

2. Observe a linguagem corporal do cão

Depois de receber permissão, o próximo passo é estudar a linguagem corporal do cão em busca de sinais de que ele está nervoso ou desconfortável. É assim que o cão lhe diz que não quer ser tocado. Se o cão se afasta, prende as orelhas ou parece assustado ou inseguro, é melhor recuar”. É importante reunir todas as “pistas” possíveis porque cães diferentes mostram desconforto de maneiras diferentes, portanto, apenas observar seu rosto ou cauda pode não contar toda a história.

3. Convide o cachorro para se aproximar

Se você não vir nenhum sinal de alerta, o próximo passo é convidar o cachorro dando um tapinha na sua perna. Ao contrário de você ser o único a se aproximar do cachorro, convidá-lo para você dá a ele a chance de “desistir”. Se o cão optar por sair, você sempre pode buscar outra alternativa para interagir mesmo de longe com as crianças. Você pode mandar um beijo ou acenar, por exemplo.

4. Ensinar as crianças a maneira correta de fazer carinho

Cada cão tem suas preferências individuais de como/onde eles gostam de ser acariciados, mas algumas dicas são universais e você já pode compartilhar com seu filho:

  • Não faça movimentos bruscos ou encoste no cachorro por trás. Avise seu filho para ficar calmo, sem movimentos agitados ou gritos. Os cães ficam excitados com o som e o movimento, então menos é melhor e mais seguro.
  • Não encoste na cara deles ou faça contato visual. Para os humanos, fazer contato visual é um sinal de respeito, mas os cães podem ver isso como uma ameaça. O mesmo vale para ficar muito perto de seu rosto.
  • Não acaricie a cabeça deles. Ter um estranho colocando a mão inteira sobre a cabeça de alguém pode ser realmente assustador para os cães.
  • Nunca puxar orelhas e caudas.
  • Os especialistas recomendam acariciar o peito, pescoço, ombro lateral ou sob o queixo do cão. As áreas não ameaçadoras onde o cão pode ver as mãos da criança são mais seguras.
%d blogueiros gostam disto: